17.11.14

MÚSICA | Faz frio cá dentro.

O relógio da minha rua diz que estão 10 graus mas sinto mais frio do que isso. Talvez sinta falta do teu calor, talvez sinta falta de um qualquer calor. Quero poder ficar para sempre aqui, enrolada em mantas, acompanhada dos meus medos. Mas a companhia não é a melhor. Talvez um dia apagues os medos. Ou, então, talvez os medos acabem por te apagar. Felizmente a noite cai. Ainda bem que há névoa por aí.


16.11.14

PERSONAL | Também tenho medo, sabes?

Tenho escrito pouco porque sei que no momento em que deixar as palavras saírem para o papel também vou deixar as lágrimas sair. Nunca tinha interpretado as situações da forma como elas realmente são porque o medo da realidade é sempre maior. No entanto, acho que sempre soube. Claro que sempre soube. Mas não é fácil quando fazemos aquilo que achamos correcto e, depois, os resultados nos fazem questionar sobre se foi realmente o mais acertado a fazer... Mas eu tenho medo, sabes? Tenho medo de tanta coisa. De que tenha errado enquanto pensava estar a tomar a decisão acertada ou de que ele não tenha razão quando diz isso passa, como se isto fosse uma doença. E se não passa? E se piora? E se, piorando ou não, o afasta de modo a que ele evite o contágio? E se o mantém afastado mesmo quando tudo passar? Também tenho medo, sabes? Medo de querer mais do que posso, de precisar de mais do que posso, de não ser o que devia. Canso-me de ser sempre levada a cruzar-me com pessoas com quem não o devia fazer; pessoas que não precisam de mim. Por quanto tempo será assim? Por que não com as pessoas em quem eu vejo realmente algo? Porquê assim? Sabias que isto não passa facilmente? E muito menos passa enquanto sentir a tensão acumulada no mesmo metro quadrado enquanto me questiono sobre o porquê de tal estranheza, ponderando esconder-me debaixo da minha cama em Fiães e não sair de lá. Mas não posso fugir de algo que criei. E fico com um sorriso parvo de cada vez que me irrito com o meu melhor amigo por ele envolver aquele nome nas conversas. Mas também tenho medo, sabes?

There are no words that can describe how much I love you

15.11.14

JOURNALISM STUFF | Porque escrever não chega.

Sempre disse que a rádio me fascinava. Lembro-me de ouvir rádio desde sempre e ainda prefiro ter como despertador a rádio do que o telemóvel mas passei o ano anterior a recusar sempre que me diziam "vai para a ESCS FM, vai para a rádio". Fui lá, é verdade, mas como convidada para programas, como o Sotaques e o Lusco-Fusco, e não queria sequer que me dissessem para entrar mesmo para a rádio, para trabalhar. É que eu não tenho voz para rádio. Não tenho. E, provavelmente, nunca terei. Mas depois de, há três semanas e pouco, duas pessoas diferentes me terem dito, outra vez, "vai para a ESCS FM" decidi sucumbir e, quando dei por mim, estava a dizer à Bárbara que queria fazer a Sebenta. Sim, o meu cérebro deve andar a ficar muito afectado. É uma coisa curta mas para quem tem usado o argumento eu não tenho voz para rádio já é muito. Fiz a primeira no dia 4 e a segunda foi no dia 11. Espero que gostem e vão sugerindo eventos, vá, já agora! Não são a melhor coisa de sempre mas a segunda foi editada por mim — consegui vencer na guerra ao Audacity! — e até gosto daqueles segundos de nervos em que dizem que faltam x segundos para entrar no ar e daquela sensação de alívio assim que digo adeus, até à próxima. Por enquanto, podem ouvir as duas primeiras. Quando houver mais eu partilho!

13.11.14

ARRIVALS | Como fazer uma criança feliz: livros e Nutella!


Acho que dá para perceber que não sou pessoa de receber dezenas de prendas, quer seja o meu aniversário quer seja Natal. Não estou habituada a receber prendas, pelo menos físicas. Recebi mais dinheiro do que as minhas prendas custaram mas, ainda assim, não podia deixar de partilhar convosco aquilo que veio parar às minhas mãos, visto que estes livros vieram da wishlist que tinha publicado no início do mês (aqui). Não esperava, de facto, receber algo vindo da wishlist. Ou, melhor dizendo, não esperava receber o que quer que fosse e, só por isso, receber alguma coisa já era muito bom mas receber dois livros e um frasco de Nutella...senhores, paraíso, qual criança na manhã de Natal ao ver que tem trezentas prendas para abrir! O mais estranho no meio disto tudo é que eu ainda não abri o frasco de Nutella...a sério!
Se tiverem interesse, poderei falar de cada um dos livros em particular, com mais pormenores, principalmente do Cozinhar com Nutella, pelo qual imagino que tenham curiosidade...só por causa da Nutella! Por agora, deixo-vos uma espécie de close-up de cada um dos pedaços desta tríade.

12.11.14

PERSONAL | Press Pause


Tenho andado completamente a mil e isso nota-se, acima de tudo, no blog. Na verdade, tem sido um bocadinho para o complicado conseguir organizar-me para estar em todo o lado sem deixar nada ficar para trás. Quando me desafiei a arriscar e fazer várias coisas em vários projectos sabia que o ritmo ia aumentar a uma velocidade estonteante mas acho que não estava preparada para este ritmo alucinante a que a minha vida agora funciona. Provavelmente isto só acontece graças à parte de mim que é muito preguiçosa mas, às vezes, apetecia-me mandar tudo passear: tudo mesmo, até as aulas e o blog. Sei que isto só acontece porque, como é óbvio, estou cansada, deito-e tarde e acordo cedo, não durmo o que devia, não como nada de jeito e não me sei organizar.
Preciso de parar mas agora não posso. Parar não é morrer; é simplesmente ter uns momentos de sossego, de dolce far niente, de saber que naqueles momentos não há preocupações e que se pode passar uma bom bocado a ver fotografias sem sentido no Tumblr, vídeos parvos no Youtube e publicações dos blogs que se segue. Estar aqui hoje, a passar este texto para o blog quando já o tinha escrito há dois dias, é a minha nano-mini-micro-pausa, mas preferia um kit-kat. Não sei lidar com trabalho, aulas e dramas amorosos em larga escala. Tenho tanto que fazer e só me apetece dormir mas hoje também não dá para dormir antes de fazer tudo o resto. 

11.11.14

CLICKS | It was someone's birthday somewhere

Finalmente, consegui ter tempo para vir ao blog dar novidades! E que novidades! Hoje falo-vos sobre os momentos que marcaram o meu aniversário, no sábado, acompanhados de algumas fotografias.


A meia-noite do dia 8 chegou logo com uma data de mensagens de aniversário, que continuaram a chegar ao longo de todo o dia e até no dia 9 recebi mensagens de parabéns atrasados. Estava em casa, em Fiães, a ouvir a "In da Club", quando percebi que o ano tinha passado tão a correr que já era outra vez Novembro, mesmo que pareça que Novembro passado foi há séculos.
Estive até à uma da matina a partilhar música e parvoíces com a Ana e, depois de dormir umas horas, acordei para o resto do meu próprio Lily Day. Não me esperava nada de extraordinário: uma reunião da Associação, uma entrevista e um lanche tardio em casa. Além das mensagens, nada naquele dia era, de facto, interessante até eu sair da reunião em direcção ao Multiusos de Trancoso. Aí as estrelas alinharam-se e eu peguei (não literalmente) no Cristovinho, no Kasha e no Coimbra, acompanhados do manager, e, no meio de chá de tília e cidreira, fiz uma entrevista aos D.A.M.A. (eu falo-vos delas, mais em pormenor, em breve). Depois, acompanhei-os ao soundcheck, onde estive algum tempo. Saí de lá para ir buscar o meu bolo de aniversário e segui para o meu lanche tardio de aniversário, apenas com meia dúzia de pessoas indispensáveis. 
À noite regressei a Trancoso para o concerto e acabei por abandonar o André e a Mariana (desculpeeeeeeeeeeeeem!) mal voltei ao Multiusos. Entre fotografias do concerto num lugar privilegiado, conversas com o Salvador, fotografias na sessão de fotos com os fãs, entre outras coisas fantásticas das quais falarei depois, tive uma noite incrível, que terminou com tarte de maçã às 2h30 em casa do André. Eram 3h30 e ainda estava a tentar assimilar o meu dia e a pensar no artigo que mais vontade tenho de escrever: a entrevista aos D.A.M.A., que vou continuar agora a transcrever. Vocês não imaginam a felicidade com que eu digo que trabalhei no meu dia de anos e adorei!

Em baixo ficam mais momentos de sábado...sendo que vêm muitos mais a caminho!

8.11.14

BIRTHDAY | Bem-vinda aos 20, Sofia!

Longe vão os tempos em que me irritava quando referiam pais, em que me magoavam ao chamarem-me gorda ou feia, em que eu deixava um simples rapaz mudar tudo na minha vida e ter poder para me fazer sentir mal ou em que tinha medo de não ser boa (e inteligente) o suficiente e, por isso, fazia por manter um low profile de forma a que ninguém reparasse em mim e eu fizesse os possíveis para ficar quase sempre sossegadinha.
Talvez o low profile se mantenha: continuo a não ver a necessidade de quebrar um silêncio confortável ou de tentar dar nas vistas a um ponto em que só falta um letreiro luminoso com setinha para demarcar por completo a presença de alguém.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...