Como saber que eu estou casa

Até podem não me ver mas, quando se ouve música em altos berros aqui na rua, toda a gente sabe que eu ando por cá.

Untitled | via Tumblr
weheartit

Passámos demasiado tempo sem falar | Confissões #233


Passamos sempre demasiado tempo sem falar. Eu penso sempre que não é demasiado tempo mas apercebo-me de que foi demasiado quando voltamos a falar. Falamos como estranhos, como se nunca tivesse havido uma história, como se todas as páginas que passaram entre nós fossem uma mentira. Ninguém diria que nos conhecemos. Passámos demasiado tempo sem falar. Parecemos estranhos. Mas, pelo menos da minha parte, somos estranhos com memórias. O que talvez seja pior.

Dos Meus Livros | Confissões #232

Duas coisas sobre o Dia Mundial do Livro (a segunda segue depois do ler mais):

Este ano o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor diz-me mais, muito mais. Tenho dois livros sobre os quais posso falar, dois livros que vou estimar sempre e que me meteram nesta aventura que é fazer parte do mundo literário. Até 2017, pelo menos, a minha casa vai ser a Chiado Editora, se bem que não tenho grandes planos para publicar nos próximos três anos visto que, apesar das ideias, o processo de escrita tem consistido em amontoados de folhas riscadas e em dar uso ao delete. Mas, aos 19 anos, ter dois livros publicados é algo que ninguém me pode tirar e, por muito que agradeça a outros, o mérito e o trabalho são meus. Ainda sou pequena nestas coisas. Sou mais uma em milhares de pessoas que publicam livros - até porque não é assim tão difícil publicar um livro - e não sei se alguma vez deixarei de o ser. Não sou uma autora best-seller, não tenho uma máquina publicitária a trabalhar por mim e para mim, ainda tenho muito para aprender e muito para escrever mas já cumpri o meu principal objectivo: já fiz pessoas apaixonarem-se pela minha escrita e já ajudei alguém graças ao que escrevi. O resto é conversa. O que faz um escritor não é o número de livros vendidos, é a paixão que deposita em cada livro. E isso...bem, isso ninguém pode dizer que eu não tenho!

Prós e Contras | TV Shows

Na semana passada cumpriram-se promessas e objectivos. Mais de dois anos depois, aconteceu o jantar que há muito esperava - e o abraço que tanto ansiava. E depois lá fomos até à Fundação Champalimaud assistir ao Prós e Contras, da RTP, ao vivo. Ora, fora aqueles programas que vêm às terrinhas, nunca tinha assistido a nenhum ao vivo. E gostei da experiência.
O tema do programa era a memória e agradou-me logo. Achei interessante - até porque gosto de invocar memórias enquanto escrevo - e, claro, não ser um tema extremamente político agradou-me. E não saí de lá totalmente desiludida. O programa foi bom mas faltou debate: fizeram muita análise em relação a como se produz a memória e tudo o mais mas não houve debate.
Fora isso aprendi algumas coisas e fiquei com vontade de, quando for velha, escrever um livro de memórias - só não sei como se faz e se é que o Seja o que for o amor não é também um livro de memórias.

O Amor Resume-se a Tudo | Books


Título: O Amor resume-se a Tudo.
Autor: Tiago Presley
Páginas: 64
Edição: 1.ª /2013
Género: Crónicas
Editora: Versbrava
Prefácio: Pedro Fernandes